Dial P for Popcorn: Fevereiro 2011

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

ÓSCARES 2011 - Comentário


Foi a primeira vez que vi uma cerimónia dos Óscares. Se há algo a que esta festa popular de auto-promoção me fez concluir, com o passar dos anos e das escolhas, é que quase sempre se esquece o melhor. Quase sempre a aparência é melhor do que o conteúdo.


E, mesmo sem nunca ter visto nenhuma cerimónia, já era esta a opinião que tinha. Depois de ter assistido (e perdido uma noite) à custa disto, reforço aquilo que sempre o disse: Os Óscares não passam de uma fútil auto-promoção de um povo que se considera o Rei do Mundo em tudo o que faz. Um povo que a nível do cinema, salvo raríssimas excepções, se limita a produzir em massa material que estupidifica e atrasa as pessoas deste mundo e, quando tenta um rasgo de intelectualidade, vai busca-lo aos países que realmente percebem do assunto.


A passadeira vermelha deu lugar a alguns dos momentos mais deprimentes e infelizes que já vi em televisão (A declaração de amor que Gwyneth Paltrow fez a Jay-Z foi digna de uma ida aos confins da Terra).

Dois momentos altos no meio de toda esta "cerimónia": A apresentação dos dez filmes a concurso na categoria de Melhor Filme, logo a começar. Quase que me enganavam. Não tivesse visto o resto dos Oscars e até julgaria estar perante uma das agradáveis bofetadas de luva branca da minha vida. Um segundo ponto alto, para o discurso de David Seidler: breve, sério, sem as lamúrias do costume mas com a emoção que um momento como estes representa para quem faz parte da indústria.


Conclusão: Uma vez que os Óscares são uma mera formalidade, uma entrega de prémios sem emoção, imprevisibilidade ou suspense à qual se junta o mau gosto de algumas escolhas/nomeações, esta terá sido a primeira e última vez que vi uma cerimónia de Óscares. E se a isto ainda lhe juntar os comentadores da TVI e as suas gaffes históricas, as quase 4 horas de cerimónia tornam-se numa tortura televisiva. E pronto, para o ano há mais.

ÓSCARES 2011: Liveblog



00:48 E bem-vindos então ao live blog dos Óscares do Dial P for Popcorn! Ao longo das próximas horas vamos tentar fazer trazer-vos o relato e os nossos comentários do que se passar no Kodak Theatre, na 83ª cerimónia dos Óscares. Desta vez optei por não comentar a Red Carpet porque nem toda a gente se interessa. Como sabem, os primeiros prémios a serem entregues esta noite são para Melhor Direcção Artística e Melhor Fotografia, apresentados por Tom Hanks. Está quase, portanto talvez seja hora (se ainda não o fizeram) de ligar a televisão e mudar para a TVI. Estamos a dez minutos de começar.

01:23 Os comentadores da TVI já ultrapassaram a dezena de erros. São tão maus que estou a ter dificuldade em escolher o melhor, mas vá, dizer que o Jude Law e o Robert Downey Jr.fizeram o "Iron Man 2" juntos foi de topo. 

01:27 Três minutos. A TVI já ultrapassou a dezena de intervalos também. Vamos ter noite longa... E se eu tiver que suportar um festival de "The King's Speech"... vai ser complicado para me aturarem amanhã.


01:36 Uma forma interessante de passar pelos nomeados e ainda homenagear alguns dos grandes filmes da história do cinema. E gostei particularmente neste número de abertura que Alec Baldwin e Morgan Freeman terem aceite participarem.

01:39 "It used to be... you got naked, you got nominated". Bem, funcionou para a Kate Winslet, não? Boa piada. Mas sinceramente: Anne Hathaway 10x mais engraçada que o James Franco. Que é um pouco pascácio, diga-se.


01:41 Black Swan: "Dancing lesbians!" - fabuloso e auspicioso início.


01:42 E aí vem Tom Hanks, o primeiro apresentador da noite, com "Gone with the Wind" a fazer a primeira transição cénica (o primeiro filme da história da Academia a vencer o prémio de Direcção Artística e Fotografia, como Hanks explica; e o último foi "Titanic").

01: 43 O primeiro prémio a ser entregue é Melhor Direcção Artística. Nomeados: "Alice in Wonderland", "Harry Potter and the Deathly Hallows, Part 1", "Inception", "The King's Speech" e "True Grit". O favorito é "The King's Speech". O Óscar é de ALICE IN WONDERLAND. A minha alternativa. Que horror.


01:46 E agora os nomeados em Melhor Fotografia: "Inception", "True Grit", "The Social Network", "The King's Speech" e "Black Swan". O vencedor é... Wally Pfister, INCEPTION. Duas surpresas já esta noite - e pobre Roger Deakins. Mas estou contente pelo Pfister. Ele é brilhante.


01:51 Kirk Douglas ("Spartacus") vem a palco para apresentar Melhor Actriz Secundária - e não podia ser mais carismático e divertido. As nomeadas são Amy Adams, Helena Bonham-Carter, Melissa Leo, Jacki Weaver e Hailee Steinfeld. Aparentemente o tal formato de apresentação foi um rumo não confirmado porque só passaram clipes (ainda bem - era dos meus hábitos favoritos). Provavelmente se houver outra surpresa hoje é aqui. O Óscar vai para... Melissa Leo, THE FIGHTER. Muito bem. Merecido. Não sei porquê mas é difícil tolerar um pouco o quão maluca ela parece por vezes.

02:01 Mila Kunis e Justin Timberlake em palco - a improvisação deles correu MESMO mal - para apresentar Melhor Filme Animado e Melhor Curta-Metragem Animada. Teremos duplo prémio para a Pixar... ou uma surpresa na Curta. Nomeados: "The Gruffalo", "Day & Night", "Madagascar: A Journey Diary", "Let's Pollute" e "The Lost Thing". Previsão: "The Gruffalo", "Day & Night" ou "Madagascar". Mas é THE LOST THING que vence (sem ninguém estar à espera). 


02:05 E aqui não há qualquer dúvida: Melhor Filme Animado vai para TOY STORY 3. Os outros nomeados são, ainda assim, excelentes: "How To Train Your Dragon" e "L'Illusioniste". E ainda há uma certa princesa que devia ter ido a votos. Malditas regras.


02:12 E estamos de volta, agora com a primeira cerimónia dos Óscares (em que "Wings" venceu) a fazer a segunda transição cénica. Josh Brolin e Javier Bardem vêm apresentar os prémios de Argumentos.


O primeiro é Melhor Argumento Adaptado. Nomeados: "The Social Network" (o vencedor), "127 Hours", "Toy Story 3", "True Grit" e "Winter's Bone". O Óscar é de... THE SOCIAL NETWORK (Aaron Sorkin).

02:17 Os nomeados de Melhor Argumento Original: "Another Year", "The Fighter", "The Kids Are All Right", "Inception" e "The King's Speech". Adoro o pormenor dos diálogos nas cenas. Interessante. E a pronúncia do Bardem é engraçadíssima. Deve ganhar "The King's Speech", não é verdade? E o vencedor é... THE KING'S SPEECH (David Seidler). 

02:22 Voltamos de mais um intervalo. Com a derrota em Direcção Artística, a coisa começa a desenhar-se mais complicada para "The King's Speech". Melhor Edição dirá mais.


02:25 Um brilhante número musical. Com James Franco em 'drag'. Fabuloso.

02:26 Helen Mirren e Russell Brand vêm anunciar Melhor Filme Estrangeiro. E ela vem falar francês. E o Russell Brand teve genuína piada. Adorei. "Biutiful", "Hors-La Loi", "In A Better World", "Incendies" e "Dogtooth" são os nomeados. Eu aposto que qualquer um deles pode ganhar. O vencedor é... IN A BETTER WORLD (Dinamarca). Não quis apostar a fundo neste filme porque os Globos raramente acertam mas cá está; é a minha alternativa que ganha.


02:30 Christian Bale, Geoffrey Rush, John Hawkes, Mark Ruffalo e Jeremy Renner são os nomeados para Melhor Actor Secundário, a ser apresentado por Reese Witherspoon. Quem ganha? Christian Bale (THE FIGHTER). E por favor alguém que me cale os comentadores da TVI. E um bom discurso de Christian Bale. Como habitualmente.


02:37 Os próximos apresentadores são Nicole Kidman e Hugh Jackman, que vêm entregar o Óscar de Melhor Banda Sonora Original após uma introdução que mostra a importância do som no cinema. O favorito é Desplat ("The King's Speech") com Reznor e Ross ("The Social Network") e Zimmer ("Inception") como distintas possibilidades; penso que os restantes (Powell, "How To Train Your Dragon" - que devia vencer; Rahman, "127 Hours") não têm hipótese. O Óscar vai para... Trent Reznor e Atticus Ross (THE SOCIAL NETWORK). Estou por demais contente. Acho que a banda sonora fala por si própria. É a melhor. Pura e simplesmente.


02:46 Vamos ter agora mais uma indicação se "The Social Network" ou "The King's Speech" estão destinados a roubar o prémio final. Melhor Mistura de Som costuma cair para o favorito para Melhor Filme, mas este ano deve ser "Inception" a vencer. Os outros nomeados são "Salt" e "True Grit". O vencedor é... INCEPTION. Que deve levar o outro também. Acho piada que vamos ter de levar com gente a elogiar o Chris Nolan (como que a relembrar a falta dele) sempre que "Inception" ganhar alguma coisa.


02:48 E agora os nomeados para Melhor Edição de Som: "Tron: Legacy", "Toy Story 3", "True Grit", "Inception" e "Unstoppable". O Óscar para... INCEPTION. E diga-se, era o melhor da categoria. É o 'blockbuster' do ano, eu suponho.


02:53 A próxima apresentadora é Marisa Tomei, que vem falar dos Sci-Tech Oscars, a cerimónia que honra os desenvolvimentos e invenções que ajudam a melhorar o cinema.


02:55 Queen Cate Blanchett a entrar em palco. Todos a fazer vénia, vá. Ela vem apresentar Melhor Maquilhagem e Melhor Guarda-Roupa, que o seu filme "Lord of the Rings" também venceu. 


O primeiro prémio é Melhor Maquilhagem. "Barney's Version", "The Way Back" e "The Wolfman" são os nomeados. Excelente piada ali pelo meio ("it's gross!") O Óscar é de... THE WOLFMAN, como era esperado.

02:58 "I Am Love", "The King's Speech", "Alice in Wonderland", "The Tempest" e "True Grit" são os nomeados para Melhor Guarda-Roupa. O Óscar vai para... Colleen Atwood, ALICE IN WONDERLAND. E já vamos em duas derrotas durinhas para "The King's Speech" embora pelo menos uma delas fosse esperada. E ela e a Sandy Powell lá continuam gémeas de registo na Academia. 9 nomeações, 3 vitórias. Eu disse.

03:00 Kevin Spacey vem iniciar as interpretações musicais da noite. "We Belong Together", de Randy Newman para "Toy Story 3" (que parece ter sido escrita em cinco minutos no chuveiro - que música tão... foleirita) é a primeira.

03:05 Ao menos uma música que valha a pena... Agora é "I See The Light" ("Tangled") a ser cantada (Levi, Moore e Menken no palco). Nem é pelas vozes que a música vale a pena, é pelo som. Aquece o coração, vá. 

03:11 Jake Gylenhaal e Amy Adams vêm apresentar o próximo prémio, que é Melhor Documentário, Curta Forma. E uma piada adorável para quem está a prever em casa - e uma boa forma de mostrar apoio às curtas. Nomeados: "Killing in the Name", "Poster Girl", "Strangers No More" (a minha preferida), "Sun Come Up", "The Warriors of Quijang". Este ano eu vi-as todas. E a minha previsão está correcta - STRANGERS NO MORE vence!



03:14 E agora o prémio para Melhor Curta-Metragem, Live Action. "God of Love" é o favorito, mas "The Confession", "The Crush", "Na Wewe" e "Wish 143" também são possibilidades. É mesmo GOD OF LOVE que ganha!


03:19 E sem dúvida alguma que Anne Hathaway está a provar ser autenticamente fenomenal como apresentadora (e os remixes: fabuloso). Grandiosa. Oprah Winfrey é a próxima a subir ao palco e vem apresentar Melhor Documentário, uma categoria que muito me confundiu nas previsões. "Inside Job" ou "Exit Through the Gift Shop"? E agora que se vinha falando em "Wasteland"? Bem, só provavelmente "Gasland" não ganhará porque até mesmo "Restrepo" (que era a surpresa que eu queria ter apostado) tem possibilidade. O vencedor é mesmo... INSIDE JOB. Que merece. E ainda bem que previ. Charles Ferguson é o rei.


03:23 E já só faltam sete prémios (Efeitos Visuais, Edição, Canção Original, Realizador, Actriz, Actor e Filme).

03:27 Billy Crystal é realmente um apresentador e um comediante excepcional. Impressionante a forma como controla e rege uma sala inteira só com uma ou duas piadas. Vem fazer a terceira transição cénica, apresentando a primeira vez que a cerimónia dos Óscares foi transmitida na televisão



03:29 Downey Jr., que fez "Iron Man 2" com Jude Law, segundo os comentadores da TVI, e não "Sherlock Holmes 2", vem com ele apresentar Melhores Efeitos Visuais e Melhor Edição. Se "The Social Network" ganhar o segundo... começo mesmo a acreditar que é possível ganhar Melhor Filme. Os nomeados para Melhores Efeitos Visuais são: "Hereafter", "Harry Potter and the Deathly Hallows, Part 1", "Inception", "Alice in Wonderland" e "Iron Man 2". Esperemos que "Inception" ganhe aqui o seu quarto Óscar hoje. O vencedor é... INCEPTION.

03:34 E agora Melhor Edição (Montagem). "The Social Network", "Black Swan", "The Fighter", "The King's Speech" e "127 Hours" são os nomeados. O vencedor é... THE SOCIAL NETWORK. É merecidíssimo. Quem me conhece sabe que estou quase a dar pulos cá em casa. Será... será que ganha Melhor Filme? Não acredito, mas...

03:38 Seguramente tem que haver um Emmy que premeie a burrice destes comentadores. Incrível. Só pérolas.


03:39 O próximo prémio é para Melhor Canção Original, mas antes vamos ter Gwyneth Paltrow ("Coming Home", "Country Strong") e A.R. Rahman e Florence Welch ("If I Rise", "127 Hours") em palco a cantar as respectivas músicas. 


Jennifer Hudson vem então entregar o prémio a uma delas. O Óscar é de... "We Belong Together", TOY STORY 3! Se soubessem o que me custou escrever isto... Que falta de gosto. Mas vá, funciona como consolação por não lhe terem dado o Óscar pela do primeiro "Toy Story", "You've Got A Friend (In Me)". Como bónus: um grande discurso.


03:53 Celine Dion a cantar "Smile" no momento em memória dos falecidos este ano. Momento tocante (sê-lo-ia mais não fosse a óbvia necessidade desta de imprimir só notas inatingíveis em cada verso que profere)

03:58 Depois do sentido tributo a Lena Horne por Halle Berry, vamos a Melhor Realizador, apresentado pela vencedora do ano passado, Kathryn Bigelow e pela duplamente Oscarizada (apetecia-me dizer isto, só para irritar) Hilary Swank. Um grande grupo de nomeados, mesmo sem Nolan: Aronofsky ("Black Swan"), Fincher ("The Social Network"), O. Russell ("The Fighter"), Hooper ("The King's Speech") e os irmãos Coen ("True Grit"). Quem diria há dez-quinze anos que teríamos estes cinco nomeados? Toda a gente sabe que eu quero - e previ - que Fincher ganhe. Mas é Tom Hooper (THE KING'S SPEECH) que ganha. E já estou pronto para ir para a cama. Bem, ao menos deu para alimentar um pouco a esperança que deixassem o Fincher ficar com o troféu. Estará ele eternamente destinado a perder?

04:12 Jeff Bridges volta ao Kodak Theatre para apresentar Melhor Actriz. Nomeadas: Annette Bening, Natalie Portman, Michelle Williams, Nicole Kidman e Jennifer Lawrence. A vencedora é: NATALIE PORTMAN (BLACK SWAN), como era esperado. Venha daí um bom discurso ao menos.

04:20 Sandra Bullock é quem sobe ao palco agora para apresentar o Óscar de Melhor Actor. Ao menos tentou ser engraçada, ao contrário do sr. Jeff Bridges, não é? Nomeados: Javier Bardem, Jeff Bridges, Colin Firth, Jesse Eisenberg e James Franco. O Óscar vai, previsivelmente, para COLIN FIRTH (THE KING'S SPEECH). E lá vamos com mais um discurso aborrecido. Vou imaginar que ele está a ganhar pelo "A Single Man".


04:25 E como bem me relembraram no Twitter, parece que voltámos a 2001. Tom Hooper a ganhar a Aronofsky, O'Russell, Fincher e Coens é como Ron Howard a ganhar a Altman, Lynch, Jackson e Field. E também aí um dos grandes realizadores do ano nem sequer foi nomeado: este ano foi Nolan, em 2001 tinha sido Baz Luhrmann. Incrível como a História se repete.

04:30 E pela primeira vez desde que me lembro, os Óscares vão terminar a horas. É hora do Melhor Filme - apresentado por Steven Spielberg. "Inception", "127 Hours", "Winter's Bone", "The Social Network", "Toy Story 3", "The Kids Are All Right","The Fighter", "True Grit", "The King's Speech" e "Black Swan" são os nomeados. E se serve de indicação para o vencedor: não é coincidência a mais que seja o discurso do Rei que esteja no fundo das cenas dos dez nomeados? THE KING'S SPEECH é quem vence o Óscar mais importante da noite!


04:38 Boa noite pessoal e obrigado por acompanharem a cobertura aqui! Amanhã voltaremos para análise e retrospectiva.









SOMEWHERE (2010)


Uma das grandes ausências da edição deste ano dos Oscars, o filme de Sofia Coppola que tanto prometia depois do prémio máximo no Festival de Toronto é, no final de contas, uma bela desilusão. Uma desilusão tão grande, que a Academia nem sequer conseguiu encontrar motivos para a levar à nomeação.

Eu não gostei. Respeito quem goste, mas não o consigo compreender. Penso que Sofia Coppola tentou dar um passo maior do que a sua perna e, de uma boa intenção, resultou um filme mal conseguido, onde o único momento em que despertei do transe em que fui embalado resultou de uma versão acústica da fantástica música dos The Strokes "I'll Try Anything Once". De resto, toda a banda sonora é bastante pobre (possivelmente, feito de modo propositado).


Johnny Marco (Stephen Dorff) é um bem sucedido actor de Hollywood, famoso e com resultados conseguidos. No entanto, a sua vida pessoal já teve dias melhores: É um pai divorciado que gasta as noites e o dinheiro em festas onde o álcool e o sexo estão sempre presentes. Bem, falando assim deste filme, até parece um filme com alguma acção.


Na realidade Somewhere é incrivelmente chato. É desconcertante de tão chato. E a pouca acção que Sofia lhe deu começa quando Cleo (Elle Fanning), filha de Johnny, aparece, e com este tem que ficar devido à súbita fuga da sua mãe. Juntos partilham momentos de cumplicidade, numa tentativa de recuperarem o tempo perdido. Em certa medida, é graças à sua filha que Johnny se reencontra. O vazio da sua vida, aos poucos começa a ser preenchido. Num final em aberto, Sofia Coppola deixa-nos a ideia de que o seu deprimido protagonista se transformou num homem novo. Mas isso, só Sofia o poderá dizer...


Nota Final: C


Trailer:




Informação Adicional:
Realização: Sofia Coppola
Argumento: Sofia Coppola
Ano: 2010
Duração: 97 minutos

ÓSCARES 2011: Últimas Previsões


E cá vão as minhas últimas previsões (para aumentar o suspense, só vou revelar as nossas previsões colectivas após anunciados os resultados):

Melhor Filme:
 THE KING'S SPEECH
(alternativa: THE SOCIAL NETWORK)


Melhor Realizador:
David Fincher em THE SOCIAL NETWORK
(alternativa: Tom Hooper em THE KING'S SPEECH)


Melhor Actor:
Colin Firth em THE KING'S SPEECH
(alternativa: James Franco em 127 HOURS)

Melhor Actriz:
Natalie Portman em BLACK SWAN
(alternativa: Annette Bening em THE KIDS ARE ALL RIGHT)

Melhor Actor Secundário:
Christian Bale em THE FIGHTER
(alternativa: Geoffrey Rush em THE KING'S SPEECH)

Melhor Actriz Secundária:
Melissa Leo em THE FIGHTER
(alternativa: Helena Bonham-Carter em THE KING'S SPEECH)

Melhor Argumento Original:
THE KING'S SPEECH (David Seidler)
(alternativa: Christopher Nolan - INCEPTION)

Melhor Argumento Adaptado:
THE SOCIAL NETWORK (Aaron Sorkin)
(alternativa: Joel e Ethan Coen - TRUE GRIT)

Melhor Direcção Artística:
THE KING'S SPEECH
(alternativa: ALICE IN WONDERLAND)

Melhor Fotografia:
Roger Deakins, TRUE GRIT
(alternativa: Wally Pfister, INCEPTION)

Melhor Banda Sonora Original:
Alexandre Desplat, THE KING'S SPEECH
(alternativa: Trent Reznor e Atticus Ross, THE SOCIAL NETWORK)

Melhor Música Original:
"We Belong Together", TOY STORY 3
(alternativa: "Coming Home", COUNTRY STRONG)

Melhor Filme Animado:
TOY STORY 3
(alternativa: HOW TO TRAIN YOUR DRAGON)

Melhor Filme Estrangeiro:
INCENDIES
(alternativa: IN A BETTER WORLD)

Melhor Maquilhagem:
THE WOLFMAN
(alternativa: THE WAY BACK)

Melhor Guarda-Roupa:
ALICE IN WONDERLAND
(alternativa: THE KING'S SPEECH)

Melhor Edição:
THE KING'S SPEECH
(alternativa: THE SOCIAL NETWORK)

Melhores Efeitos Visuais:
INCEPTION
(alternativa: ALICE IN WONDERLAND)

Melhor Edição de Som:
INCEPTION
(alternativa: THE SOCIAL NETWORK)

Melhor Mistura de Som:
INCEPTION
(alternativa: THE KING'S SPEECH)

Melhor Documentário:
INSIDE JOB
(alternativa: EXIT THROUGH THE GIFT SHOP)

Melhor Curta-Metragem:
GOD OF LOVE
(alternativa: THE CONFESSION)

Melhor Curta-Metragem, Animação: 
MADAGASCAR, A JOURNEY DIARY
(alternativa: THE GRUFFALO)

Melhor Curta-Metragem, Documentário:
STRANGERS NO MORE
(alternativa: KILLING IN THE NAME)

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Grandes Divas do Ecrã


Esta semana, as nossas rubricas semanais foram guardadas para hoje para, em sintonia com a cerimónia de logo dos Óscares, trazerem à memória os filmes nomeados de 2010. Já fizemos a Frase Inesquecível, vem agora a Grande Diva.

E porque uma Diva não tem que ser sempre feminina... cá está a nossa primeira diva masculina. E que diva!




Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg), "The Social Network" (2010)


"I think if your clients want to sit on my shoulders and call themselves tall, they have the right to give it a try - but there's no requirement that I enjoy sitting here listening to people lie. You have part of my attention - you have the minimum amount. The rest of my attention is back at the offices of Facebook, where my colleagues and I are doing things that no one in this room, including and especially your clients, are intellectually or creatively capable of doing. Did I adequately answer your condescending question? "

10 FOR THE OSCARS, OSCARS FOR 10 - Último Encontro (Parte 1)



O Dial P For Popcorn tem o orgulho de vos trazer esta nova iniciativa/cooperação interblogues, de seu nome "10 for the Oscars, Oscars for 10", uma série de meetings entre amigos e, por sinal, cinéfilos fidelíssimos, com o intuito de discutir tudo relacionado com Óscares, cerimónias, precursores, méritos e falhanços da temporada cinematográfica de 2010. Esperemos que além de informativo e interactivo isto nos sirva e vos sirva de alguma coisa.


Para este último encontro, contámos com o contributo do nosso painel regular de comentadores, composto por mim e pelo João cá do blogue, o Samuel Andrade (Keyser Soze's Place), o Pedro Ponte e o Gonçalo Trindade (Ante-Cinema), o Tiago Ramos (Split Screen Blog) e o Diogo Figueira (A Gente Não Vê). A todos agradeço a disponibilidade e a participação.

Vamos lá às questões colocadas neste último encontro.


1. QUAL A VOSSA NOMEAÇÃO FAVORITA?

DIOGO: WINTER'S BONE para Melhor Filme.

GONÇALO: Darren Aronofsky (BLACK SWAN) para Melhor Realizador.

JOÃO: Javier Bardem (BIUTIFUL) para Melhor Actor.

JORGE: Mike Leigh (ANOTHER YEAR) para Melhor Argumento Original. É tão merecido.

PEDRO: TOY STORY 3 para Melhor Filme.

SAMUEL: A de John Hawkes, para Melhor Actor Secundário, por WINTER'S BONE. Mais que merecida e, numa muito improvável vitória, inteiramente justa.

TIAGO: Tenho três que se destacam: I AM LOVE para Melhor Guarda-Roupa, Michelle Williams  (BLUE VALENTINE) para Melhor Actriz e DOGTOOTH para Melhor Filme Estrangeiro.


2. QUAL A VOSSA PREDILECTA DE ENTRE AS CANÇÕES ORIGINAIS NOMEADAS?

DIOGO: "I See The Light" de TANGLED.

GONÇALO: "I See The Light" de TANGLED.

JOÃO:  "If I Rise" de 127 HOURS.
JORGE: "I See The Light" de TANGLED.

PEDRO: "We Belong Together" de TOY STORY 3.

SAMUEL: Confesso que esta não é das categorias a que dedico mais atenção. Contudo, “I See The Light”, de TANGLED, é o meu tema favorito.

TIAGO: "Coming Home" de COUNTRY STRONG.


3. ESPERAM SER SURPREENDIDOS COM A CERIMÓNIA? QUAIS AS VOSSAS EXPECTATIVAS?

DIOGO: Não espero ser surpreendido, mas creio que é exactamente nessa condição que somos surpreendidos. Espero uma luta muito interessante entre THE SOCIAL NETWORK e THE KING'S SPEECH e ser-me-á difícil apostar no vencedor de Melhor Filme. Também tenho expectativas por alguma disputa nas categorias técnicas e esperança na vitória de INCEPTION em Melhor Argumento Original.

GONÇALO: Não espero muitas surpresas... Espero que mantenham as mudanças que têm sido feitas nalgumas das últimas (na entrega do Óscar de melhor actor/actriz, por exemplo), mas tenho imenso medo que não aproveitem bem o carisma desta dupla. Espero a rotina, mas a rotina bem feita.

JOÃO: Não.
JORGE: Espero ser surpreendido no sentido em que certamente vai ocorrer algo que me vai deixar de nariz torcido. Quanto à cerimónia em si e ao formato, nada a dizer, têm tentado corrigir alguns pormenores muito criticados de anteriores cerimónias procurando uma reaproximação ao público, com pouco sucesso para já. Ainda assim, aplaudo o esforço. Já em relação a vencedores... a maioria já está decidida, daí não haver grande suspense.

PEDRO: Sinceramente, não. Acho que já ninguém vê os Óscares para ser surpreendido, vemo-los porque... são os Óscares. Mas claro que fica sempre uma réstia de esperança de vermos aqueles que mais gostamos e que achamos mais merecedores triunfarem. Diria que 90% da cerimónia está encaminhada, mas haverá sempre uma pequeno espaço de manobra para uma ou outra surpresa.

SAMUEL: Com o discurso de Ricky Gervais, durante os Globos de Ouro, ainda bem fresco na memória de organizadores deste género de cerimónias, não espero grandes surpresas do par “inofensivo” que escolheram para anfitriões. Penso que as surpresas advirão de algum vencedor — por exemplo, se o documentário de Banksy (EXIT THROUGH THE GIFT SHOP) ganhar, esse poderá ser o momento da noite…

TIAGO: Depois de várias desilusões durante anos sucessivos, já não espero ser surpreendido. Mas estou confiante na química de Anne Hathaway e James Franco. Acho que vão trazer um espírito novo à cerimónia, com muito entretenimento.


4. QUAL É A VOSSA PARTE FAVORITA?

DIOGO: Os discursos inteligentes, como o de Quentin Tarantino ao vencer o Melhor Argumento Original com PULP FICTION em 1995.

GONÇALO: Bem, a entrega de Melhor Filme é sempre de grande ansiedade. E sempre gostei dos números de abertura, principalmente nos bons velhos tempos do grande Billy Crystal e mais recentemente na excelente cerimónia apresentada pelo Hugh Jackman.
JOÃO: Melhor Filme Estrangeiro.
JORGE: O monólogo inicial. Acho mesmo que é a partir daí que as grandes cerimónias se constroem e que os fiascos principiam. E os discursos. Não é por isso que vemos os Óscares?
PEDRO: Não sei se terei uma. Acho que a cerimónia tem bons e maus momentos, dependendo sempre dos intervenientes e do ambiente que se vive. De qualquer forma, nos últimos anos tenho gostado imenso das apresentações das categorias de interpretação por parte de vencedores anteriores e das montagens evocativas das categorias técnicas, dando de certa forma algum destaque àqueles que, mais que os actores ou produtores, fazem realmente cinema. As actuações musicais são também agradáveis, sendo importante não esquecer que isto é, acima de tudo, um espectáculo, e como tal deve entreter. 
SAMUEL: Um bom monólogo inicial/introdução é sempre o ponto alto da cerimónia. E (pelo menos, nas últimas edições) quando Ben Stiller surge para apresentar um Óscar.
TIAGO: Não tenho uma parte favorita, visto que a cerimónia era dispensável, a meu ver. Por mim, quanto mais rápido melhor.


5. QUE PARTE REMOVERIAM OU MUDARIAM SE PUDESSEM?

DIOGO: Os discursos como os de Sandra Bullock [vencedora o ano passado por THE BLIND SIDE].

GONÇALO: Em vez de mudar propriamente uma parte da cerimónia, preferia que o raio da orquestra parasse de interromper o discurso dos vencedores. Chega a ser frustrante.

JOÃO: Nunca vi, [daí que não opino].

JORGE: Transições cénicas e longos intervalos. Chega a ser insuportável. Já nem pego nas interrupções dos discursos que são uma verdadeira falta de educação.

PEDRO: Apesar de reconhecer que faz parte, o discurso do presidente da Academia. Não tem utilidade rigorosamente nenhuma, quebra o ritmo do espectáculo e é um exemplo óbvio de auto-congratulação de uma organização e não do cinema. 

SAMUEL: O regresso à cerimónia principal dos Óscars honorários, vergonhosamente relegados para um tal de Governor’s Ball.

TIAGO: A excessiva duração e os intervalos.


6. DIGAM TRÊS INJUSTIÇAS QUE TENHAM OCORRIDO NOS ÓSCARES QUE GOSTARIAM DE CORRIGIR.

DIOGO: É difícil só escolher três mas cá vai: THE HURT LOCKER vencer INGLORIOUS BASTERDS, em 2010 [em cinco categorias no total]. SLUMDOG MILLIONAIRE vencer qualquer Óscar que tenha vencido, em 2009. MY FAIR LADY vencer DR. STRANGELOVE em 1965 [para Melhor Filme].

GONÇALO: A Julia Roberts vencer à Ellen Burstyn [em 2000-2001]; o CRASH vencer em vez do BROKEBACK MOUNTAIN ou do MUNICH (que é, a meu ver, o filme que nesse ano mais merecia o prémio); todas as cerimónias em que o Morricone perdeu.

JOÃO: THERE WILL BE BLOOD não ter vencido melhor filme. THE HURT LOCKER ser considerado o Melhor Filme de 2009. Sandra Bullock ter vencido um Óscar.

JORGE: CRASH vencer BROKEBACK MOUNTAIN para Melhor Filme. CITIZEN KANE perder o Óscar de Melhor Filme para HOW GREEN WAS MY VALLEY. Annette Bening, Julianne Moore e Glenn Close não terem um Óscar sequer mas Hilary Swank e Jodie Foster terem dois cada.

PEDRO: A vitória de Robert Redford por Melhor Realizador, em 1980, ao invés de Martin Scorsese por RAGING BULL; a derrota de THE SEARCHERS (melhor Western já feito), de John Ford, em 1957, na categoria de Melhor Filme, para AROUND THE WORLD IN 80 DAYS; Melhor Realizador em 1969, quando Carol Reed (OLIVER!), tirou o Óscar a Kubrick por 2001: A SPACE ODYSSEY.

SAMUEL: THE FRENCH CONNECTION vencer A CLOCKWORK ORANGE em 1971; DANCES WITH WOLVES vencer GOODFELLAS EM 1990; e SHAKESPEARE IN LOVE vencer SAVING PRIVATE RYAN em 1998.

TIAGO: Jeff Bridges vencer Colin Firth em 2009-2010. CRASH vencer BROKEBACK MOUNTAIN em 2005-2006. CHICAGO vencer THE PIANIST em 2002-2003.


7. "THE SOCIAL NETWORK" OU "THE KING'S SPEECH"?

DIOGO: THE KING'S SPEECH.

GONÇALO: THE SOCIAL NETWORK.

JOÃO: Nenhum. TRUE GRIT.

JORGE: THE SOCIAL NETWORK.

PEDRO: Mais que debatido. Sinceramente já não tenho energia para voltar a discutir isto. Creio que são, acima de tudo, filmes completamente diferentes, e fazer alguém escolher entre os dois é essencialmente perguntar-lhe de que filme gosta mais, e não qual tem mais qualidade. Porque neste último aspecto, é impossível dizer; um valoriza a estética, o virtuosismo técnico e o imediatismo, enquanto que o segundo reveste-se por inteiro em classicismo e charme britânico, contando uma história de superação, ao invés de uma de egoísmo. Pessoalmente, acho que The King's Speech perdurará, enquanto The Social Network cairá no saco do culto, definindo um período e uma geração muito específicos.

SAMUEL: THE KING'S SPEECH.

TIAGO: THE KING'S SPEECH como vencedor na categoria. Mas THE SOCIAL NETWORK como meu favorito.


8. QUAL O NÚMERO DE VITÓRIAS QUE ACHAM QUE "THE KING'S SPEECH" VAI CONSEGUIR NO TOTAL?

DIOGO: Quatro.

GONÇALO: Três.

JOÃO: Oito.

JORGE: Sete.

PEDRO: Cinco.

SAMUEL: Seis.

TIAGO: Seis.


Daqui a pouco vem a Parte 2.
Para já: que pensam destas questões?


 

Frases Inesquecíveis do Cinema


Esta semana, as nossas rubricas semanais vão pegar em filmes nomeados da cerimónia de logo. E por isso, cá vai a primeira...




"You leave me no choice. Here comes the smolder."

Flynn Ryder (VO: Zachary Levi), "Tangled" (2010)


ÓSCARES 2011: Em preparação


Como eu pareço andar sempre atrasado, faltaram-me divulgar mais dois vídeos disponibilizados pela ABC e pela Academia para promoção da cerimónia de hoje. O primeiro é a dura batalha de Hathaway com o teleponto...


E o segundo envolve uma disputa taco-a-taco entre Hathaway e Franco para ver quem se preparou e treinou melhor para apresentar a cerimónia:



Entretanto, o Deadline conseguiu também arruinar parcialmente algumas expectativas que eu tinha, revelando quase todo o plano do espectáculo de mais logo, incluindo quem apresenta o quê e que transições cénicas vão surgir. Se não querem ser surpreendidos e pretendem descobrir já algumas coisas, podem consultar aqui o roteiro do espectáculo praticamente integral ou então aqui a mesma hiperligação, mas traduzida para português pelos caros colegas do Pipoca Moderna. Resultado disto tudo: a Academia baniu a Deadline da cobertura dos Óscares, proibindo a passagem dos seus jornalistas e retirando os seus passes de imprensa.

 
A única informação que eu vos queria dar a vocês, fiéis seguidores da corrida como eu (imagino), é que os primeiros prémios apresentados de início (por Tom Hanks) serão Melhor Direcção Artística e Melhor Fotografia, que darão logo para ver a força de "The King's Speech", que é considerado o favorito a vencer o primeiro e uma forte possibilidade no segundo, que deve (esperemos) ir para Pfister ou Deakins. Se Cohen conseguir esse também, pois bem meus caros, contem com uma dezena de estatuetas para a coqueluche britânica. 

A outra informação que entretanto foi veiculada e validada por membros anónimos da direcção da Academia (o Board of Governors) diz respeito ao formato de apresentação das quatro categorias de actores: afinal a cerimónia a que se referiam não é a de 1970, mas uma dos anos 70, especificamente a de 1979 - na qual os nomeados eram apresentados através de uma espécie de flashback da sua carreira, com antigos trabalhos a surgirem no ecrã e assim prestando homenagem a toda a carreira do actor, mostrando que muitas vezes as nomeações são fruto disso mesmo - da carreira e não do papel (fonte: In Contention).


Agora deixo-vos a palavra: que tal estas mudanças e estas informações? E quais as vossas expectativas para logo? Quero saber tudo.