Dial P for Popcorn: LOOPER (2012)

domingo, 14 de outubro de 2012

LOOPER (2012)


Era grande a minha expectativa em relação a Looper. Um bom elenco, carismático e irreverente, com um promissor realizador e uma história cheia de potencial. E, de facto, o argumento de Looper foi muito bem conseguido. Não é mais uma ideia futurista. A história por detrás deste filme, tem uma tremenda mensagem social, com algumas bases sólidas e ideias com alguma coerência. Estamos em 2044, numa sociedade desfeita pela ganância e pela violência, onde não existe ordem e a justiça é feita pelas próprias mãos. É o local propício para emergirem indivíduos sem escrúpulos e dispostos a tudo para conseguirem um conforto ao alcance de muito poucos.


Joe (Joseph Gordon-Levitt) é um Looper. Um assassino contratado para resolver os problemas das Máfias que dominam o mundo no ano de 2074. O hiato temporal, de 30 anos, surge graças à capacidade de, em 2074, se realizarem ilegalmente viagens no tempo. Aproveitando as potencialidades desse mecanismo, os grupos criminosos enviam para o ano de 2044 os indivíduos de que se querem ver livres, garantindo que um jovem Looper estará brutalmente armado quando o receber. É um trabalho simples, limpo e tremendamente eficaz. Uma ideia de génio.


O problema surge quando Joe é obrigado a encerrar o seu contrato. Fechar o Loop, assim se chama, obriga a que o jovem assassino termine com a vida do seu EU futuro. Algo corre mal e inicia-se uma caça ao homem que traz a chave para todos os enigmas deste filme, Bruce Willis. E é a partir deste momento que o filme começa a perder qualidade. A sua história mantém-se igualmente interessante, mas a adaptação deste argumento, o dedo do realizador, acabaram por me desiludir bastante. Não se trata de previsibilidade. Trata-se, acima de tudo, de um sem número de clichés cinematográficos, momentos pré-fabricados, ideias repetidas, que fazem perder o brilho a um filme carregado de potencial. A originalidade do argumento dilui-se na falta de originalidade da sua equipa de produção. No final de contas, Looper define-se numa única frase: uma boa história que culminou num filme medíocre. 

Nota Final: 
C+


Trailer:



Informação Adicional:
Realização: Rian Johnson
Argumento: Rian Johnson
Ano: 2012
Duração: 118 minutos

3 comentários:

Anónimo disse...

Também achei um filme que tinha bastante porencial! Joseph Gordon-Levitt, aiinda assim, é dos melhores da sua geração, na minha opinião.

João Samuel Neves disse...

Caro Anónimo,

Obrigado pelo seu comentário e pela visita! Também sou um fan de Joseph Gordon-Levitt. E parece que finalmente começa a ganhar espaço entre os melhores de Hollywood, fazendo justiça à qualidade que tem. Espero grandes coisas dele no futuro!

João Samuel Neves.

Sam disse...

Esta crítica mereceu destaque na rubrica «A "Polémica" do Mês» do Keyzer Soze’s Place, disponível aqui: http://sozekeyser.blogspot.pt/2012/11/a-polemica-do-mes-16.html

Cumps cinéfilos.