Dial P for Popcorn: TINKER TAILOR SOLDIER SPY (2011)

domingo, 8 de janeiro de 2012

TINKER TAILOR SOLDIER SPY (2011)


"She told me she had a secret, the mother of all secrets..."

Comecei por ficar entusiasmado com a chegada deste filme às nossas salas de cinema. Depois, comecei a ler, aqui e ali, algumas críticas à monotonia e ao argumento e fiquei de pé atrás. Depois o Jorge Rodrigues deu-me a opinião dele, mais positiva e mais interessante, e retomei o meu entusiasmo. E finalmente tive oportunidade de o ver no cinema. E fiquei convencido. Tomas Alfredson é realmente um realizador estupendo. Comecemos pela fotografia, a edição e a banda-sonora do filme? Irrepreensível. Do melhor que vi este ano no cinema. Alfredson dá ao espectador uma perspectiva ímpar. O espectador faz parte de todo o ambiente de espionagem e mistério que constrói e alicerça o filme. E isso torna-o um filme especial, digno de registo, digno de ser recordado e digno de ser visto. Com todos os sentidos apurados e com a máxima das atenções.


Tudo começa com a viagem de Jim Prideaux até Budapeste, na busca da Toupeira que se encontrava nos serviços secretos britânicos a mando do governo russo. A sua morte, misteriosa, marca o início de todo o drama e despoleta uma sequência ininterrupta de cenas intrigantes e, muitas vezes contraditórias, numa busca incessante e incansável por parte de George Smiley (Gary Oldman), antiga coqueluche dos serviços secretos, que procura respostas para a sua forçada demissão e para o ambiente corrosivo e desleal que contamina o seu antigo local de trabalho.


Tinker Tailor Soldier Spy é um filme complexo, trabalho e meticuloso. Carregado de informação, de personagens e de momentos que se interligam e enovelam de uma forma densa e intrigante. Se o espectador gostar de ser testado, gostar de ser estimulado, gostar de um filme com um clímax fortíssimo no seu final, carregado de mistério e de especulação, este é o filme certo e o preço do bilhete vale todo o seu preço. Com um grande elenco, muito bem equipado e trabalho.

Nota Final:
A-


Trailer:




Informação Adicional:
Realização: Tomas Alfredson
Argumento: John le Carré, Bridget O'Connor e Peter Straughan.
Ano: 2011
Duração: 127 minutos.

4 comentários:

Miguel Pestana disse...

Este filme será um dos próximos a assistir. Não sei se estou enganado mas é o primeiro filme do Colin depois de ter ganho a estatueta o ano passado, não é?

Bons filmes!!

João Samuel Neves disse...

É verdade Miguel. Como ele disse numa entrevista, ele escolhe os filmes pelo argumento e não pelo seu protagonismo nos filmes. O papel neste filme é claramente secundário, mas uma personagem essencial em toda a história. Espero que gostes! Obrigado pelo comentário.

RicardoRodrigues disse...

Estou mesmo curioso para ver este!

Já agora... O Blog vai apostar mais um ano nos Dial A for Awards? Gostei muito de acompanhar os do ano passado!

DiogoF. disse...

Gostei mesmo do trabalho visual, grande Alfredson. Mas achei o argumento demasiado complexo, ao ponto diminuir o meu agrado pela experiência que estava a ter. Mas gostei. Talvez voltando a ver.