Dial P for Popcorn: Personagens do Cinema - The Joker

domingo, 10 de outubro de 2010

Personagens do Cinema - The Joker


Apareceu no cinema em 1966 com Cesar Romero e teve o seu ponto alto 42 anos depois com a prestação lendária de Heath Ledger. Durante 42 anos, vários foram os que tentaram dar a Joker a merecida homenagem, tentando fazer dele um inimigo à altura do invencível Batman. No entanto, nem o próprio Jack Nicholson conseguiu.

Mas quando Christopher Nolan iniciou o projecto "O Cavaleiro das Trevas", imaginou um Joker que surpreendeu o mundo não só pela prestação fantástica de Heath Ledger, como também pelas suas ideias completamente esquizofrénicas! "O Cavaleiro das Trevas" é o filme que é, teve o reconhecimento e a aceitação que teve, porque nesse filme existe um actor e uma personagem que marcam um filme. Pela primeira vez num filme de Batman, este não foi a estrela. Este não foi a atracção e não foi de Christian Bale que se esperou a diferença.



Admito que "O Cavaleiro das Trevas" não foi um filme pelo qual tenha morrido de amores. Gostei, supreendeu-me, entreteu-me. Saí do cinema muito contente com os 5€ que gastei e sei reconhecer que é um filmaço! No entanto, sempre fui contra Christopher Nolan fazer filmes sobre o Batman. Sei que, por vezes, é necessário trazer dinheiro (e nisso, Nolan é mestre!) às empresas cinematográficas para se poder fazer filmes com o orçamento de Inception. Embora Christopher Nolan não faça nada mal e tudo aquilo em que toca transforma em ouro, prefiro vê-lo noutros projectos.


No entanto, nunca ninguem como Nolan conseguiu dar a emoção e o encanto que este deu aos filmes do Batman. É, na nova geração de realizadores que apareceram nesta ultima década, o melhor. Lamento a morte de Heath Ledger. Infelizmente não esteve entre nós para ver o seu esforço e dedicação devidamente reconhecidos. O papel de uma vida, que lhe valeu o Oscar depois da sua morte.

1 comentário:

Dezito disse...

Na minha opinião até acho que Nicholson teve a sua elegância como Joker. Mas Ledger tornou-o mais visceral. Apesar de tudo até acabo por meter os dois no mesmo patamar, pois achei os dois excelentes.

Cumps