Dial P for Popcorn: BACK TO THE FUTURE (1985)

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

BACK TO THE FUTURE (1985)



Quando me aconselharam a ver "Back to The Future" eu torci o nariz, pois reunia um conjunto de características que não me conseguiam convencer:

Década de 80, que para mim consegue ser a pior a nível do cinema, música, arte, moda, política, conseguindo dar-nos coisas tão boas como os Smiths e absoluto lixo como eram as séries americanas (ou portuguesas) da altura (agora a maioria ainda continuam a ser uma verdadeira perda de tempo, no entanto, a qualidade técnica melhora e a não se torna tão violento para o olhar).


Título de blockbuster barato, que nos leva logo a imaginar metade da história só de olhar para o poster de apresentação.

A dificuldade natural de tentar manipular o tempo, transportanto realidades diferentes que necessitam de uma inteligente adaptação e de uma coerente coordenação. São tantos os que desgraçam as suas carreiras quando se metem nestes caminhos...


Mas há uns dias atrás, as excelentes recomendações que tinha sobre ele, convenceram-me a dar-lhe uma hipótese. O que vos tenho a dizer é que fiquei agradavelmente surpreendido. Já esperava que a ideia e a história do filme fosse esta, não o vou negar e é inevitavel não sabermos à partida o que nos espera, mas como já o disse aqui diversas vezes, muitas das vezes a diferença está na maneira como nos contam uma história. A ideia-base do "Back to the Future" é uma história que uma criança de 6 anos pode facilmente imaginar. O toque pessoal que Robert Zemeckis lhe deu, é que o tornou no sucesso que foi, é e certamente sempre será.


"Back to the Future" é um filme divertidíssimo. Um filme para nos fazer relaxar, rir, divertir-nos e fazer-nos sentir uma enorme empatia e amizade pelos protagonistas desta história.


Sem vos revelar muito, Marty McFly (Michael J. Fox) é um jovem cheio de sonhos e ilusões, sem sucesso na escola e com uma família completamente depressiva, em que o pai é um idiota e a mãe uma frustrada com a vida e o casamento. Ao conhecer o Dr. Emmett Brown (Christopher Lloyd) que uma lufada de ar fresco entra na sua vida e, mesmo perante todos os conselhos para que dele se afastasse, Marty acredita nas potencialidades dos projectos de Brown e ajuda-o na concretização dos mesmos.


"Back to the Future" conta a história do mais ambicioso e arrojado projecto do Dr. Emmet Brown: uma máquina do tempo, movida a plutónio, capaz de o transportar para qualquer momento da humanidade.

O que acontece a seguir, obrigo o leitor a descobrir. Este é um daqueles filmes que um dia vou certamente querer mostrar aos meus filhos. É uma história de miudos, que diverte imenso qualquer graúdo.


Nota Final: B+


Trailer:




Informação Adicional:
Realização: Robert Zemeckis
Argumento: Robert Zemeckis e Bob Gale
Ano: 1985
Duração: 116 minutos.

12 comentários:

leandro disse...

As suas primeiras linhas foram totalmente infelizes, os anos 80 foram excelente para o cinema, ele nunca seria o que é hoje sem aquela magia da época, a criatividade contava mais que o CGI, tem clássicos adolescentes divertidíssimos na mesma linha de BTTF, alguns que me lembro no momento como Goonies, Salve Ferris, Pork's, The Naked Gun, Quero Ser Grande (Big), Dirty Dancing, Stand By Me, Beverly Hills Cop, Karatê Kid, Three O'Clock High, Police Academy qualquer um dessa lista rápida pode se ver sem medo são adoráveis, e mais sobre os anos 80 tivemos alguns clássicos que entraram para a historia do cinema como melhores filmes, E.T, Caçadores da Arca pedida, Alien 2, Terminator 1 e 2 , Blade runner, Top Gun, MadMax, O Império Contra-Ataca, O Retorno de Jedi, O Iluminado, Cinema Paradiso, Touro Indomável, Ran, Platoon, Scarface ... ah, Parei, só alguns que me vieram a cabeça.

Alguns títulos estão em português do Brasil, pois não lembro o nome em inglês.
Ah, sem esquecer que ela apresentou e consagrou ao mundo vários ícones do cinema, Spilberg, Cameron, Lucas, Scott, Tom Hanks, Tom Cruz, Mel Gibson, Sly, Shuazeneger entre outros.

Em tempo: acho melhor vc rever os seus conceitos sobre os anos 80, vc vera o cinema de outra forma, uma forma fantástica de se fazer cinema e não duvido que vai se apaixonar.

Deixando bem claro que respeito a sua opinião.

Abração !!

Rato disse...

Um clássico magnífico este, que tive a sorte de ver numa sala de cinema quando se estreou. Ao longo dos anos tenho voltado a ele muitas vezes e sempre com o mesmo prazer. Da trilogia o mais fraco é o segundo capítulo. O terceiro é uma excelente paródia ao western, que aconselho vivamente, apesar de não ter o brilhantismo deste capítulo inicial.
Quem puder é comprar em blu-ray a edição de coleccionador

O Rato Cinéfilo

João Samuel Neves disse...

Caro Leandro,

Em primeiro lugar, agradeço o seu comentário e o facto de esclarecer o seu ponto de vista!

Com todo o respeito, mas Karatê Kid, Dirty Dancing ou Police Academy (para referir apenas alguns dos títulos que aqui deixou) são o tipo de filmes americanos para os quais olho e penso "já não há paciência para vos ver". São histórias baratas, que serviram, no meu ponto de vista, para estupidificar uma geração.

Está claro que se fizeram grandes filmes nos anos 80: O Cinema Paradiso, Touro Indomável, Scarface ou Blade Runner (como muito bem referiu), aos quais junto o The Shining ou o Laranja Mecânica. É óbvio que em 10 anos de cinema, alguma coisa de qualidade teria que ser feita! Mas, ao comparar a década de 80 com outras décadas, como a de 90, a década de 50, a década de 60 ou até mesmo a primeira década do séx. XXI, esta ficará sempre, no meu entender, muito atrás do que foram as outras.


Espero que compreenda o meu ponto de vista e agradeço-lhe a sua visita ao nosso blogue.

Cumprimentos,

João Samuel Neves.

João Samuel Neves disse...

Caro Rato,

é sempre um prazer receber a tua visita aqui no Dial P For Popcorn!

Obrigado pelo conselho relativamente às sequelas. Eu estava com receio de as ver, porque é rara a sequela que consegue igualar a qualidade do original, mas sendo assim, quando terminar os meus exames, vejo os dois de uma só vês e deixo depois a minha opinião aqui no blogue!

Abraço,

João Samuel Neves.

Gema disse...

Este filme marcou uma geração. É daqueles que ficam para sempre na memória e é mesmo muito bom.
Também gostei dos outros dois que se seguiram, mas para mim o 1º foi sem dúvida o melhor ;)

Gustavo S. disse...

Sim sr. Já estava na altura do "Back to the Future" merecer o seu espaço aqui no Dial P for Popcorn.
Concordo plenamente com o teu post. O filme foi um grande êxito, não por contar uma história muito original, mas sim por contar uma história de uma maneira muito divertida que gera, tal como disseste, uma forte empatia entre o espectador e as personagens. Acredito que muita da atractividade se deve tanto ao trabalho do Zemeckis que compilou uma obra de grande valor, como às extraordinárias prestações do Michael J Fox, Christopher Lloyd e Thomas F Wilson, que (não sendo eu um entendido destas lides) me parece que foram feitos para os respectivos papéis.
No seu todo o Back to the Future é para mim um filme que, apesar de não ser um blockbuster, é bem mais agradável do que muitas megaproduções de Hollywood. Para além disso consegue ser quase como que pedagógico em termos morais, o que, aliado à energia e intensidade que é imposta na narrativa, o torna num filme único, de qualidade rara dentro do género.

Um abraço e sempre que vieres comentar filmes de qualidade como este avisa ;D

Sarah disse...

Este filme está qualquer coisa! Adorei. É de facto divertidíssimo. Nunca me canso de vê-lo. O 1º é o que gosto mais, apesar de também ter gostado dos outros.

Sarah
http://depoisdocinema.blogspot.com

Bruno Cunha disse...

Não concordo com muitas coisas. Este filme é tão mágico. É verdade que já não o vejo há uns dois anos mas tenho uma memória tão boa dele. Tenho um pack dos 3 em vhs. Que pérola!
Frank and Hall's Stuff

João Samuel Neves disse...

Gustavo,

devo-te a ti a descoberta deste filme e, sempre que vires algo que te agrada e que eu desconheça, avisa-me, porque é garantido que também vou gostar! Obrigado pelo teu comentário! ;)

Abraço!

Jorge Rodrigues disse...

Tenho que começar por dizer que concordo com o teu primeiro parágrafo, embora entenda o que alguns já disseram aqui. A verdade é que os anos 80, em termos de verdadeiras obras-primas auteuriais, é muito parco. Ainda assim, tem grandes filmes (como qualquer década).

Este BACK TO THE FUTURE é um dos maiores filmes dessa época e concordo também aqui com quem disse que é o melhor da saga.

Não sendo um blockbuster no sentido literal da palavra, funciona como tal, sendo acima de tudo um fabuloso par de horas de entretenimento.

Cumprimentos,

Jorge Rodrigues

Jorge disse...

É um belíssimo filme sim senhor, que nos contagia, nos diverte e nos delicia com as suas peripécias. É acima de tudo e no meu entender, cinema blockbuster de boa qualidade.

Curiosamente da saga o que mais gosto é o 2º, seguidamente deste e por fim o 3º. Pelo que te aconselho mesmo a veres os dois que te faltam. Toda a saga constitui momentos divertidíssimos e únicos.

abraço

Rato disse...

Todas as épocas têm os seus altos e baixos, no que respeita os aspectos culturais, nomeadamente o cinema, que é disso que aqui se trata. Mas pode dizer-se, sem sombra de dúvida, e de um modo generalista, que foi durante a década de 80 que as produções começaram a resvalar para o comercial (= dinheiro fácil), em detrimento da qualidade artística. Esse plano inclinado não mais foi invertido, como se comprova a assustadora vulgaridade (para não dizer imbecilidade) da maioria dos filmes que estreiam nas salas de cinema hoje em dia.
Uma pequena correcção: a "Laranja Mecânica" é um filme de 1971, nada tem a ver com os anos 80.