Dial P for Popcorn: AKMAREUL BOATDA/I SAW THE DEVIL (2010)

sábado, 26 de março de 2011

AKMAREUL BOATDA/I SAW THE DEVIL (2010)



"Your nightmare is only getting worse."


Se o leitor é fan de OldBoy (para muitos o grande filme asiático dos últimos anos), vai adorar I Saw the Devil. Se gostou de Min-sik Choi em OldBoy, vai venerar Min-sik Choi em I Saw the Devil. I Saw the Devil é um orgasmo cinematográfico, é o grande thriller de 2010!


A minha devoção pelo cinema asiático resulta de filmes como este, de argumentos como este, de personagens como as deste filme. Não há, para mim, ninguém melhor a nível do cinema dramático (e aqui incluo os thrillers impiedosos com as cenas que muitos se recusam a mostrar). Nenhuma área do planeta produz tanto cinema com tanta qualidade. I Saw the Devil é o ponto alto do Cinema Asiático nos últimos anos e tudo aquilo que o cinema deve ser.

Como escrevi ontem, são obras de arte como esta que marcam momentos do cinema, que engrandecem a arte de fazer um filme e lhe dão o merecido valor. Não ver I Saw The Devil é ignorar uma parte importante do cinema do século XXI. Um filme que me encheu as medidas e me deixou rendido, às qualidades de Min-sik Choi, Hoon-jung Park e Jee-woon Kim.


Kyung-Chul
(Min-sik Choi) é um psicopata que tem como principal divertimento, sequestrar, violar e mutilar jovens mulheres. Um cruel assassino, sem pudores, sem qualquer ressentimento, que mata sem piedade, mas que a dada altura escolhe a presa errada: Joo-yeon, esposa de Soo-Hyun (Byung-hun Lee) um polícia de topo que, arrasado pela dor da s
ua perda, jura vingança e inicia uma busca incansável ao responsável pela morte do seu amor.


Num filme americano, estaríamos tratados: O polícia ferido perseguiria o psicopata e numa heróica e memorável batalha final, o polícia (que seria um irresistível sex-symbol de Hollywood) sairia vitorioso e honraria para sempre a alma da sua esposa. Em I Saw the Devil, tudo isto se despacha em pouco mais de quarenta minutos. A grande fatia do delicioso bolo que é este filme, corresponde àquilo em que os asiáticos fazem a diferença: quase 1h30 de filme, em que Soo-Hyun não se limita a perseguir Kyung-Chul. Soo-Hyun quer ver Kyung-Chul sofrer todos os segundos dos últimos dias da sua vida. E fá-lo com uma classe digna dos mais frios e calculistas assassinos da cinema.


I Saw the Devil
merece ser visto, admirado, digerido e, acima de tudo, compreendido. É um filme duro, tocante, fortíssimo e que certamente provocará desconforto entre os mais sensíveis. Eu assumo a responsabilidade da nota que lhe atribuo e sei que o faço de consciência perfeitamente tranquila. I Saw the Devil é uma obra-prima. É um exemplo perfeito daquilo que os asiáticos sabem fazer. É perfeito.

Nota Final:
A


Trailer:





Informação Adicional:
Realização: Jee-woon Kim
Argumento: Hoon-jung Park
Ano:
2010
Duração: 141 minutos

4 comentários:

Sam disse...

Contextualizado no cinema asiático contemporâneo, e sobretudo o sul-coreano (não nos esqueçamos que isto é assinado pelo realizador de A TALE OF TWO SISTERS), concordo totalmente com a nota!

Cumps cinéfilos.

Bruno Cunha disse...

Este filme foi a grande perda do meu Fantasporto. Não o consegui ver...

Abraço
Frank and Hall's Stuff

Anónimo disse...

Enjoyed reading/following your page.Please keep it coming. Cheers!

Pedro D. M. Teixeira disse...

Grande grande filme :). Um argumento muito bom, interpretações ao mais alto nível e uma realização brilhante. Uma verdadeira pérola do cinema asiático contemporâneo, em particular do cinema Sul Coreano.
Como o filme consegue ser intenso do inicio ao fim, durante as 2 horas e 20 min, nunca caindo na futilidade e no mais visto dentro do género. Um filme muito negro e impressionante de se assistir pela brutalidade de algumas cenas, mas que vale muito bem a pena de ser visto :)

Continuação de bons filmes, e de um excelente trabalho no blog :)

Abraço