Dial P for Popcorn: DAFA 2010: Melhor Actor Secundário

sábado, 12 de março de 2011

DAFA 2010: Melhor Actor Secundário



Bem-vindos à primeira edição dos Dial A For Awards, a cerimónia de prémios de cinema do nosso blogue, Dial P For Popcorn. Iremos revelar, categoria a categoria, os nossos seis nomeados e três vencedores entre aqueles que foram, para nós, os melhores filmes de 2010.


Depois de alguns prémios em categorias menores, vamos a uma das categorias principais - Melhor Actor Secundário. E o que seria de um filme sem grandes actores e actrizes secundários? São eles que roubam cenas, são eles que acrescentam aquele je ne sais quoi especial a um bom filme e o tornam grande, são eles que dão profundidade e ressonância a muitas interpretações dos protagonistas. Por tudo isto, um bom actor secundário é essencial. Assim sendo, cá estão os que melhor cumprem, para mim, estes requisitos em 2010, portanto os meus seis nomeados para Melhor Actor Secundário:




Christian Bale, THE FIGHTER - #1
Michael Fassbender, FISH TANK
Andrew Garfield, NEVER LET ME GO (também por: THE SOCIAL NETWORK) - #3
John Hawkes, WINTER'S BONE
Ben Mendelsohn, ANIMAL KINGDOM
Mark Ruffalo, THE KIDS ARE ALL RIGHT - #2



Apesar do ano bastante frutífero em exemplos impressionantes do trabalho de actores secundários, foi-me relativamente fácil compor esta lista de nomeados, uma vez que não consigo dissociar o seu trabalho do sucesso do filme comigo. Não dá para imaginar "The Fighter" sem CHRISTIAN BALE. Sem a sua energia, sem a sua contagiante habilidade de se perder na personagem, sem a sua intensidade e abordagem pessoal àquilo que ele pensa que Dicky Ecklund é, como pessoa, sem perder a sua própria identidade como actor. ANDREW GARFIELD poderia estar aqui por qualquer um dos dois filmes referidos. Em "The Social Network" ele rouba cena atrás de cena, fazendo-nos sentir compaixão e pena por um rapaz honesto que é atropelado pelo sucesso do melhor amigo. Contudo, é em "Never Let Me Go" que Garfield impressiona mais. Num filme depressivo e melancólico, Garfield é perfeito, arrancando-nos o coração nas trágicas cenas que lhe condenam o seu fim. Duas personagens tão diferentes e tão parecidas, dois rapazes ingénuos e sonhadores traídos pelo destino e pelo falhanço. BEN MENDELSOHN, como 'Pope' Cody em "Animal Kingdom", é assustador, ameaçador, possessivo e arrogante, além de ser difícil de ler, fazendo-nos temer sempre pelas pessoas que se encontravam no seu caminho. Sempre subtil e low-profile, mas uma ameaça constante. MICHAEL FASSBENDER foi a descoberta do ano (não para mim e alguns outros que viram "Hunger") e em "Fish Tank", através de poucas falas mas com muita profundidade emocional, ele presenteia-nos com mais uma enorme interpretação. Não precisamos de muito para perceber o que move Connor e a forma como ele vê, a ele e aos outros, no mundo. JOHN HAWKES em "Winter's Bone", como Teardrop, surpreendeu-me - e penso que surpreendeu todos - com a sua versatilidade. É impossível confiar em Teardrop: ele é dotado de uma falsa ingenuidade e ambiguidade (uma ameaça aparente, portanto) que torna difícil entendê-lo. Será ele mesmo nosso amigo? Cumprirá ele aquilo que disse? Ele surpreende sempre. Finalmente, falta-nos falar de MARK RUFFALO e do seu Paul em "The Kids Are All Right", um verdadeiro testemunho à qualidade e talento de um actor em tornar uma interpretação complexa em algo simples, divertido, energético, bem-humorado e sem se esforçar muito. O papel não é fácil, mas a forma como Ruffalo o eleva com grande sensibilidade, destrinçando bem cada laço e relação que define, como varia de humor, entusiasmo e excentricidade. Cair de pára-quedas numa família tão fora do convencional deve ser interessante. Paul foi um mestre em lidar com a situação. Só quando ele quis retirar mais do que devia deste novo elemento da família é que as suas ridículas ambições colidiram com a fria realidade. Brilhante.


Passo agora a palavra a vocês: quais os vossos actores secundários preferidos do ano passado?

1 comentário:

João Samuel Neves disse...

Caro Jorge, só consigo concordar contigo em relação à primeira posição. É inevitável o Bale não ser o melhor do ano. O único que foi melhor que ele foi o Javier Bardem.

No entanto, em relação ao 2.º Lugar, atribuo-o facilmente ao John Hawkes ;)

Em relação ao 3.º Lugar, Michael Fassbender seria a minha escolha!


No entanto, excelente artigo e excelente selecção! ;) Abraço!