Dial P for Popcorn: Quentin Tarantino: Inglourious Basterds

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Quentin Tarantino: Inglourious Basterds


O mais recente dos filmes de Tarantino (e embora eu ainda não fosse gente em 1994 ou não fizesse a mais pequena ideia do que era Cinema e Tarantino aquando da saída de Kill Bill), penso que Inglourious Basterds terá sido o filme com maior divulgação, box office e aceitação pelo público em geral. Na análise a este filme, penso que obtemos duas opiniões um pouco distintas: Para os mais fervorosos fans de Tarantino, Inglourious Basterds é visto como um belo filme, mas a satisfação que se retira não será a mesma de um Pulp Fiction ou de um Reservoir Dogs (nem penso que poderia ser). Para os fans dos filmes mais mainstream, principalmente aqueles para quem Inglourious Basterds é o primeiro contacto que têm com Tarantino, este é tido como um grande filme, dos melhores de 2009. São duas opiniões que respeito e compreendo.


No meu entender, Inglourious Basterds é um filme com grandes interpretações (como é o caso de Christoph Waltz, um desconhecido que limpou tudo o que era troféu desde Cannes até aos Óscars com uma das grandes interpretações da última década) e com pequenos momentos de uma genialidade enorme, ao melhor nivel de Tarantino, como a cena inicial em que Coronel Hans Landa (Christoph Waltz) captura, com uma enorme classe, uma família de Judeus (ou não fosse a sua alcunha, que ostenta com orgulho, "Jew Hunter").


Inglourious Basterds é um filme dividido em 5 capítulos e que conta a história de um grupo (posso dizer, "heterogéneo") de Judeus, liderado por Aldo Raine (Brad Pitt) e que se orgulha de fazer frente ao regime Nazi, de uma forma tão eficaz, cuja fama se espalha pela Europa e leva a que, o próprio exército Nazi sinta receio destes guerrilheiros. A acção começa quando este grupo decide eliminar o Coronel Hans Land e este prova ser um osso muito duro de roer!

É um filme que mistura o melhor humor negro de Tarantino, com empolgantes cenas de acção e suspense. Toda a excitação (acho que foi o maior empurrão para tal) à sua volta levou-o a conseguir 8 nomeações na ultima edição dos Oscars, tendo garantido a inevitável estatueta para o papel de Melhor Actor Secundário que, no meu entender, seria criminoso caso não acontecesse.


Nota Final: B+

Trailer:


Informações Adicionais:
Realização: Quentin Tarantino
Argumento: Quentin Tarantino
Ano: 2009
Duração: 153 minutos

5 comentários:

Jorge disse...

Considero o melhor de Tarantino mesmo, pelo menos é o que me identifico mais. Mas claro reconheço extremas qualidades tanto em Pulp Fiction como em Kill Bill, entre outros.

abraço

Jackie Brown disse...

Acho algo criminoso, este ter quase a mesma nota que o Death Proof ;)

Seria, na vossa escala e para mim, um A redondo.
Ou quanto muito, um A-

Abraço

João Samuel Neves disse...

Jackie Brown, a piada de existirem blogs e cada um formular opinião é cada um ver as coisas do seu ponto de vista. Isso torna interessante ler os porquês de se considerar isto e aquilo
Talvez o Jorge até considere que o Inglourious Basterds merecem mais, mas para mim é um B+ e penso que expliquei o porquê. O Death Proof tem bons pormenores, mas considero-o mais fraco do que este. Obrigado pela tua opinião! ;)

Jorge, obrigado também pela tua opinião!

Abraço!

Jorge Rodrigues disse...

Curiosamente, eu também não acho que mereça mais que um B+. Eu gosto imenso do Inglorious Basterds e até acho que é um filme de um Tarantino maduro, com elementos dos vários filmes, mas não me satisfaz tanto como outras obras dele (nomeadamente Kill Bill). Na minha escala, é o nº 3 atrás de Pulp e da saga Kill Bill.

Mas o Samuel tem razão, são opiniões bastante pessoais (eu, por exemplo, não gosto tanto do Reservoir Dogs como ele, mas aceito a nota que ele lhe deu).

E sim obrigado pelos comentários,

Jorge Rodrigues


P.S. - A ver se hoje já volto ao activo de vez!

DiogoF. disse...

Os únicos que gosto mais do que este são PULP FICTION e os KILL BILL. Achei hilariante, divertido, com um argumento genial.