Dial P for Popcorn: Quentin Tarantino: KILL BILL (2003-2004), Vol. 1 e Vol. 2

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Quentin Tarantino: KILL BILL (2003-2004), Vol. 1 e Vol. 2



Até há pouco tempo recusei-me a ver Kill Bill. O cartaz não me convencia, a prespectiva de Tarantino num filme de acção também não. Assim que tive a ideia de vos fazer esta retrospectiva sobre o Quentin Tarantino, tive obrigatoriamente que o colocar no leitor de DVD.

E que grande surpresa eu tive! Atrás de Reservoir Dogs e Pulp Fiction, a grande distância dos restantes filmes de Tarantino, Kill Bill é uma obra de arte. É um filme de acção e uma história aparentemente simples sobre vingança. No entanto é uma história criada por Tarantino, o que é o mesmo que dizer, uma história carregada de humor negro, com uma fantástica banda-sonora (considero seriamente falar-vos sobre ela em breve nas crónicas sobre as soundtracks) e particularidades deliciosas como o mítico jipe Pussy Wagon.




Kill Bill conta-nos a história de uma noiva (Uma Thurman) cujo casamento é estragado por Bill (David Carradine) e pelo seu gang. Após 4 anos em coma e de um despertar inesperado, a noiva decide vingar-se daqueles que a tentaram tramar. Um a um, todos serão eliminados. São 4 os alvos a abater antes de chegar até Bill: O-Ren Ishi, Vernita Green, Elle Drive e Budd que, a mando de Bill, constituiam o Deadly Viper Assassination Squad.


Um filme cheio de acção, que no meu entender é o que menos me importa, embala-nos numa aventura intensa, numa saga dividida em 2 filmes (que aconselho sejam vistos de uma assentada), pensado ao cuidado por Quentin Tarantino e que mostra um lado que, embora já conhecido de Tarantino (o seu humor e os seus diálogos, embora menos em foco, continuam brilhantes) exposto de uma nova forma. É acção à moda de Tarantino!


Nota Final: A-

Trailer:



Informações Adicionais:
Realização: Quentin Tarantino
Argumento: Quentin Tarantino
Duração: 111/136 minutos
Ano: 2003/2004

13 comentários:

Roberto F. A. Simões disse...

Também eu tive que me render às evidências e ao cinema-génio de KILL BILL. Excelente(s) filme(s.

Cumps.
Roberto Simões
» CINEROAD – A Estrada do Cinema «

Jorge Rodrigues disse...

O meu regozijo por tu teres gostado muito do KILL BILL. É o meu Tarantino favorito a par de PULP FICTION e fico contente por teres gostado dos mesmos pormenores que eu aprecio no filme!

Grande crítica. Abraço,

Jorge Rodrigues

Tiago Ramos disse...

Eu tive uma experiência semelhante. Tinha visto Kill Bill Vol.1 há alguns anos na TV... e não tinha gostado. Depois o ano passado vi em DVD e adorei. Mas sou ainda mais radical: para mim é o melhor de Quentin Tarantino.

Jackie Brown disse...

Já eu não gosto particularmente do KB I.
Prefiro claramente a segunda parte, embora considere que ainda existem outros filmes melhores de Tarantino...

Abraço

Jorge Rodrigues disse...

@Tiago Ramos, concordo completamente contigo! Aliás, disse isso imensas vezes ao Samuel e ele sempre a dizer que não via o que eu achava de tão especial no Kill Bill. Ainda bem que gostaste e que ele também gostou porque acho que o(s) filme(s) são simplesmente magistrais.

Cuidados, sérios no registo e brilhantes filmes de acção. Além de um belíssimo argumento.


@Jackie Brown, o bom de Tarantino é mesmo o facto de ter na sua (pequena) filmografia tantos bons filmes que dá para arranjar fãs fiéis para todos. Claro que o mais fácil (não quer dizer contudo que não seja verdade) é defender que Pulp Fiction é o número 1 (é capaz mesmo de ser). Mas conheço também quem ADORA o Jackie Brown (:P) e também quem defenda com unhas e dentes Reservoir Dogs (hmm, o sr. Samuel por exemplo). O importante é apreciar de facto os dotes de um grande realizador e os detalhes personalizados que cada filme dele tem.


@Roberto Simões, ainda bem que também te rendeste ao Kill Bill. Aliás, ainda bem que tu, o Tiago e o Samuel se renderam. Eu adoro o filme. E adoro a Uma Thurman. Não importa o que me digam, se eu tivesse que escolher alguém para vencer em 2003 o Óscar era ela. True story :D


Abraço e obrigado pelos comentários,

Jorge Rodrigues

Anónimo disse...

O meu favorito, apesar de o PF e o IB serem considerados melhores. Simplesmente genial... vi-o dezenas de vezes em DVD e na TV e n me canso xD

Luís Miguel

Anónimo disse...

só um reparo...
o 4º elemento do Deadly Viper Squad chama-se Budd (o chamado "Bill's Bro"), Michael Madsen é o nome do actor.

Luís Miguel

Joana Vaz disse...

Eu também só vi os filmes porque fui muito persuadida a fazê-lo e depois tive de dar o braço a torcer perante a genialidade de Tarantino. Fantásticos!!

No entanto o meu favorito é Pulp Fiction.

Jorge Rodrigues disse...

@Luís Miguel, pois eu sei que também partilhas da minha devoção à Uma e ao KILL BILL. É bom saber :)


@Joana Vaz, o PULP FICTION é o mais icónico de facto e é o meu favorito a par deste. Percebo claramente a tua escolha.


Abraço e obrigado pelos comentários,

Jorge Rodrigues

DiogoF. disse...

Não é, de todo, o tipo de filme de que eu goste: pancada com espadas e muito sangue. Foi mesmo das obras que, antes de ver, mais cepticismo me criava.

Mas, como todos vocês, rendi-me.

Grande filme, apenas atrás de Pulp Fiction (tenho o top filmografia de Tarantino no meu blog; o Jorge já o conhece, creio que tu, João, ainda não).

Jorge Rodrigues disse...

@DiogoF., conheço sim. O João há-de ir vê-lo. E sim eu percebo o cepticismo mas o filme é tão imenso que não dá para perceber como é que alguém não gosta, nem que seja minimamente, do filme.

Obrigado pelo comentário,

Jorge Rodrigues

João Samuel Neves disse...

Obrigado por todos os comentários! Em breve vou terminar a saga Tarantino! ;)

Abraços

Jorge disse...

Também posso dizer que a cada dia que passa me rendo mais às qualidades destes filmes. A referência a outros géneros e as homenagens são deliciosas, sobretudo ao Western e a Leone.

São a par de Inglourious Basterds os meus preferidos de Tarantino. O Basterds talvez se destaque, mas não tenho a certeza. Mas atenção o Pulp Fiction, o Reservoir Dogs e o Jackie Brown são igualmente filmes bons, aliás qualquer cinéfilo que se preze nos dias de hoje devia seguir a carreira deste senhor :P.

abraço